Precisamos de mais Isadora Faber nas escolas

Isadora Faber, de Florianópolis, ficou famosa esta semana em todo o Brasil por criar uma página no Facebook, o Diário de Classe, para expor os problemas de sua escola. Apesar de a página ter sido criada no começo de julho, nas últimas semanas a audiência explodiu.

Ela estuda na Escola Básica Municipal Maria Tomazia Coelho, da Praia do Santinho em Florianópolis. A Praia do Santinho fica no norte da ilha e possui um dos resorts de praia mais caros do Brasil, bem como um condomínio de alto padrão, mas isso não significa que a escola pública municipal do bairro tenha que ser uma escola excelente.

Como já mostrei anteriormente no post sobre as 30 melhores escolas de Florianópolis e na página do Ranking das escolas, a educação patina em Florianópolis até mesmo entre as particulares. Se por um lado o Catarinense aparece com uma boa pontuação, em primeiro lugar na cidade, por outro está atrás da melhor escola de Blumenau, o colégio Bom Jesus. Com todo respeito a Blumenau, mas considerando que Florianópolis é uma cidade maior e capital, isso não era de se esperar. Então, o problema da educação em Florianópolis não está quando se compara as melhores escolas somente com as mega-capitais. Se um título serve para impressionar, então Florianópolis é pior capital do sul no ensino privado.

Mas eis que surge a Isadora Faber para o Brasil todo, e justamente de Florianópolis, e de um bairro que nem mesmo os Florianopolitanos conhecem muito bem. Ela em sua página vem expondo problemas do dia a dia, que qualquer um que convive no mesmo ambiente pode achar que ela está louca, afinal, está tudo normal como sempre foi e não tem ninguém morrendo. Ela não aceitou essa mediocridade e está fazendo algo para mudar. Muito bom que esteja conseguindo ao menos conscientizar as pessoas.

Quadra da Escola Escola Básica Municipal Maria Tomazia Coelho
Quadra da Escola Escola Básica Municipal Maria Tomazia Coelho

E problemas como esse estão em todo o canto, não apenas na educação. O brasileiro não pode aceitar. Tem que assumir a sua responsabilidade e agir. Meu filho frequenta a escola Acalanto no bairro da Trindade em Florianópolis. Uma escolinha muito boa e agradável, mas que fica em uma rua estreita e com acesso um tanto difícil. Ali infelizmente presencio todos os dias pais de alunos parando o carro de forma completamente irregular, ou ocupando duas vagas (em uma hora em que as vagas estão disputadíssimas), andando na contramão e saindo por dentro do Terminal Urbano da Trindade, o que também não é permitido (até porque exige andar na contramão). A situação piorou com a Unimed por perto, onde até mesmo as ambulâncias usam a contramão dentro do Terminal para sair do bairro, afinal é muito mais fácil. Ou seja, ao invés do povo reclamar que o acesso é ruim, dá-se um jeitinho e parece que tudo está sempre bom. Enquanto isso a criançada vai aprendendo coisas que vão ficar para a vida toda. Quando eu venho com um assunto desses, parece que sou exigente demais quando na verdade só o correto já me deixaria satisfeito.

A fama da Isadora Faber criou mais uma faísca na cabeça do brasileiro, tal como de uma forma diferente o filme Tropa de Elite fez a população abrir os olhos e diminuir em alguns pontos percentuais a escala de conivência com a corrupção. São momentos que duram pouco e não curam o problema do país, mas ajudam a iniciar uma corrente melhor de rumo para a sociedade até que a justiça esteja impregnada dentro de cada um.

Isadora Faber
Isadora Faber

No momento da criação deste post a página Diário de Classe possuía 126 mil “curtidas”.

Facebook Comments

Post Author: mario