Arthur e suas fraldas

Alguns meses antes do Arthur nascer, no ano de 2011, estávamos em Maravilha, no oeste de Santa Catarina e dali fomos dar uma passada em Bernardo de Irigoyen, uma cidade argentina que faz fronteira com as cidades de Dionísio Cerqueira em Santa Catarina e Barracão no Paraná.

Ali muitos brasileiros da região vão fazer compras e abastecer o carro. Mas ali não é uma cidade para roupas e eletrônicos. O que tem de interessante de compras é mais no supermercado mesmo. Ali vimos fraldas Pampers e Huggies. Como ainda não tínhamos comprado fraldas, estávamos sem noção de preço mas nos pareceu bem barato. Dava em torno de R$ 4,00 um pacote com dez fraldas. Compramos alguns pacotes, que foram então os primeiros do Arthur.

Depois fomos ver que realmente era barato. Na Argentina há algumas diferenças. As fraldas Huggies não são da Turma da Mônica e as da Pampers ganham outro nome. A Supersec, que foi que encontramos lá, chamava-se Babysan.

Depois veio o chá-de-fraldas. Ouvimos dicas de conhecidos de que as fraldas que menos davam problemas eram as da Huggies e Pampers, então nos convites para o chá-de-fraldas especificamos o tamanho da fralda e pedíamos que fosse de uma dessas marcas.

Convite do Chá de Fraldas

 

Em meio a tanta fralda que ganhamos, ou melhor, que o Arthur ganhou, recebemos também um pacote de PomPom que um amigo trouxe e disse que era das melhores que tinha.

Um pouco tempo depois, conversando com uma atendente na farmácia, ela me contou que sua filha teve alergia às fraldas Huggies e que ela teve sorte de trabalhar na farmácia e conseguir trocar as que ganhou em seu chá-de-fraldas por Pampers… fiquei com a pulga atrás do orelha.

Mas enfim, o Arthur nasceu e começou a usar as fraldas. De RN (recém-nascido) tínhamos apenas um pacote , da Pampers, que era uma fralda excelente. Tinha uma textura que se assemelhava muito ao algodão. O Arthur nasceu grande, com 51,5cm e 3,7kg então iria aproveitar pouco essas fraldas. Como gostamos bastante, chegamos até a comprar outro pacote, mas acabou que não servia mais. Ele ficou nas fraldas P.

O Arthur não teve nenhum problema de alergia com as fraldas da Huggies, mas o que notávamos é que elas vazavam muito mais e eram com muito mais plástico em suas áreas de contato do que as Pampers mais simples.

Mas fomos usando conforme o que tínhamos. Nosso estoque de fraldas era bem grande. Só comprávamos quando acabavam as fraldas para o tamanho que estava sendo usado. Quando acabaram as fraldas tamanho P, compramos da Pampers Total Confort. Elas são melhores e um pouco mais caras que as fraldas Supersec, mas no caso do Arthur, ele estava em um tamanho que se adaptava melhor a essa.  As Supersec vazavam de vez em quando, principalmente à noite.

Depois houve uma época que qualquer fralda vazava durante a noite, então experimentamos a Pampers Noturna e Diurna, que depois foi descontinuada e substituída pela Extra Care. Essa é a top de linha da Pampers. Sinceramente, não parece ter um ganho tão relevante no conforto que justifique sua diferença de preço, mas para aquela época do Arthur estava valendo a pena durante a noite pois realmente aguentava “a carga” e não vazava.

Pampers Total Confort

Quanto as fraldas PomPom, realmente são muito boas. Ganhamos um pacote na maternidade, um no chá-de-fraldas e também temos a disposição no fraldário do Shopping perto de casa, o Shopping Iguatemi de Florianópolis. Além de bonitas, elas parecem confortáveis e não apresentam vazamentos. Porém são fraldas que geralmente custam mais. Se comparado na média, possuem um preço bem equivalente à Pampers, porém essa última é frequentemente vista em boas promoções, como as que encontramos geralmente no Big/Wal Mart, que ao menos por aqui é o melhor lugar para comprar. Fica em torno de R$ 0,60 cada fralda em um pacote econômico quando se trata da Supersec.

Também antes do Arthur nascer li em uma revista sobre uma fralda completamente biodegradável. Achei muito interessante, pois tem fralda que você vê que é puro plástico e até dói pensar como a situação poderia ser diferente, mais amigável ao meio ambiente. Só que eu nunca encontrei essa fralda e nas farmácias ninguém nunca sabia do que eu estava falando.

Enfim, falamos aqui das fraldas que melhor se adaptaram ao Arthur, mas para cada criança pode ser diferente. Como foi com vocês?

Posted in: Dicas, Memórias, Reviews

About the Author:

Post a Comment


2 × three =