Viajando com criança – Dia 1: Chegando em Charlotte, NC

Dia 1 – Nossa chegada em Charlotte

Fomos para Charlotte com passagens da US Airways, empresa que foi recentemente comprada pela American Airlines. Charlotte Douglas International Airport é o hub desta companhia aérea, razão pela qual esta tem sido a porta de entrada para os EUA para muitos brasileiros ultimamente.

Antes do embarque ainda em Guarulhos
Antes do embarque ainda em Guarulhos

Neste primeiro dia não tínhamos nenhuma atração prevista. Apenas ajustar a nossa chegada da viagem. Em suma, ao chegar iríamos almoçar, comprar uma cadeirinha para criança (veja aqui o post com a dica) para usar no carro alugado e um chip de celular com plano de dados para usar o celular como GPS.

A bordo do A-330
A bordo do A-330

Alguém pode se perguntar: mas não é possível já alugar o carro com cadeirinha e GPS? Sim, é possível. No caso, iríamos ficar 14 dias com o carro. Tanto GPS como a cadeirinha são cobrados por dia limitados a um valor máximo por locação, que seria atingido nos dois casos. Reservamos o carro com a Alamo e ali a cadeirinha sairia por $80 e o GPS por volta de $140. Como há um grande Walmart perto, a minha ideia era comprar tudo por ali. Pesquisei os preços antes pela internet e vi que valia a pena.

Terminal Charlotte Douglas International

Aliás, para entrar no site do Walmart americano para ter uma ideia de preços, basta usar este link:

http://www.walmart.com/?country=US

Ao chegar no aeroporto, pegamos o carro e tivemos duas surpresas:

– Eles não tinham o Sunpass (sistema de cobrança eletrônica de pedágios na Flórida, tipo um Sem Parar), como haviam me dito que teriam mesmo sendo em outro Estado

– Havia uma taxa a mais chamada Roadside Assistance, por $4,99 por dia. Sem esse serviço, qualquer problema como pane, o conserto e guinchamento seria por minha conta. Para mim isso é tão básico que já deveria estar no preço. Posteriormente, um amigo americano me explicou que é assim pois a maioria dos americanos possuem um seguro pessoal para isso quando contratam o seguro de seu carro particular, e por isso não precisam pagar

Mas é impressionante como eles são eficientes. O cara me mostrou a fila de carros midsizes e disse que era só escolher. A princípio escolhi um Toyota Prius, afinal, quando eu iria dirigir um híbrido novamente? Mas infelizmente o porta-malas não iria dar conta. Quando escolhi o Corolla, o cara simplesmente disse que estava feito. Nada de conferir risco por risco, conferir o tanque, e etc. Foi somente colocar a mala no carro e sair. O registro final era feito também rapidamente na cancela, na saída.

Enfim, enquanto minha esposa e meu filho me esperaram na Alamo, eu fui ao Walmart comprar a cadeirinha por $39. Estava em busca dos chips StraightTalk ou SmartSim, porém não encontrei no Walmart. Estes eram mais baratos. Me ofereceram um da At&T, mas eu teria que ligar ou entrar na Internet para escolher um plano e fazer a recarga. Por fim, sem burocracias comprei um chip da T-Mobile, em loja própria junto ao Walmart na Wilkinson Blvd, por $70 com ligações e SMS ilimitados dentro dos EUA, ligações internacionais para fixo ilimitadas, e Internet de 1Gb. Após 1Gb, o uso era ilimitado porém em velocidade 2G. Contando a cadeirinha e o chip, foi uma economia de $110. Já paga a entrada para o Magic Kingdom.

Corolla 2014. Novinho. Está deixando saudades.
Corolla 2014. Novinho. Está deixando saudades.

A experiência de entrar em um Walmart americano pela primeira vez foi muito interessante. Tem muita coisa diferente e realmente se vende de tudo.

No fim, até almoçar e sair de Charlotte acabamos levando mais tempo do que esperávamos. Na verdade, apenas na imigração já foi uma hora de fila. Pegamos a estrada para Atlanta e enfrentamos trânsito na saída de Charlotte e na chegada a Atlanta, além de bastante chuva. Apesar disso, dirigir pelas estradas de lá foi bem tranquilo. Logo me acostumei com o câmbio automático, cruise control (piloto automático) e a viagem não foi nada cansativa. As pessoas na estrada dirigem com bastante respeito aos outros, trocando pouco de faixa, deixando um bom espaço de segurança entre os veículos e o mais importante: todos seguindo aproximadamente na mesma velocidade, até mesmo os caminhões. Parece não ser grande coisa mas me deixou claro como garante a fluidez no transito. Por fim, chegamos a Atlanta na casa de nossos amigos já a noite, às 9:00, mas Atlanta é um post a parte 🙂 Acompanhe neste link os posts desta viagem: tag usa2014

 

Facebook Comments

Post Author: mario