Nutrição para o cérebro

Assim como muita coisa no desenvolvimento de uma pessoa, o que leva ela a ser mais ou menos inteligente sofre influencia de uma infinidade de variáveis, e nenhuma delas é garantia de algum resultado, seja positivo, seja negativo. Como muita gente diz, não dá para generalizar.

Mas também não se pode negar a estatística e os avanços dos estudos científicos. Certas variáveis podem aumentar em muito a chance da criança se desenvolver melhor.

Um dos pontos que já tocamos aqui é a importância do DHA e ARA na alimentação do bebê e da mamãe.

Durante o primeiro ano de vida, o cérebro de uma criança cresce rapidamente, num ritmo que não acontecerá posteriormente. A maior parte do desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso, de acordo com o site BrillKids, se dá até os três anos de idade.

O que uma criança ingere tem uma importância profunda no desenvolvimento do cérebro. Nesse caso, a qualidade da alimentação dos pais também é fundamental, seja pela amamentação da mãe, seja pelo exemplo.

leite materno

Leite Materno – DHA e ARA

Não é mera propaganda do Ministério da Saúde a defesa da amamentação e do leite materno como único alimento do bebê até os seis meses de idade. A recomendação é que se possível a amamentação siga até os dois anos de idade, pois o leite materno é o melhor alimento não só para a saúde da criança, mas também para o desenvolvimento do cérebro.

O leite materno contém DHA e ARA na quantidade ideal para os bebês, e estudos indicam que crianças amamentadas podem ter 8 pontos de QI de vantagem para crianças alimentadas por fórmula.

Ferro

O ferro também deve estar presente na alimentação dos bebês por ser essencial na produção de hemoglobinas. Pouco ferro pode causar anemia, tendo como consequência cansaço e falta de energia. Sem a quantidade adequada de ferro, a criança formará menos conexões neurais impedindo o desenvolvimento motor e mental normal.

Iodo

Iodo também é importante durante a amamentação pois é crucial para a síntese de certos hormônios que regulam o metabolismo. Como não é um componente facilmente encontrado nos alimentos, uma conversa com um nutricionista por ajudar a verificar se é interessante um complemento durante a amamentação.

Facebook Comments

Post Author: mario