Cidade da Criança – São Bernardo do Campo

Na semana passada fizemos um passeio que foi uma verdadeira viagem no tempo. Visitamos a Cidade da Criança em São Bernardo do Campo.

Viagem no tempo pois quando criança meus pais levaram a minha irmã e eu muitas vezes àquele lugar. Lembro-me muito bem do teleférico, do submarino e da pista de carrinhos. Quando eu era pequeno, geralmente os carrinhos eram como um carrossel. Apenas giravam em torno de um eixo, num curto raio. Ali havia uma grande pista, inclusive com subida e ponte. Eu tinha medo de eu estar dirigindo de verdade, então, para garantir eu tomava o maior cuidado possível nas curvas. Minha mãe dá risada da cara que eu fazia até hoje.

Mas nunca sabemos qual vai ser as preferências de uma criança de dois anos. A do Arthur foi simplesmente estar ao lado de um avião DC3 (de verdade) fechado e exposto no parque.

aviao dc3 cidade das criancas

E assim é a Cidade das Crianças. Ela tem um apelo muito grande para as crianças, mas não para os adultos. Lembro-me de voltar ao parque com mais ou menos 13 anos e ficar decepcionado. Comecei a ver defeitos onde antes só havia magia. Obras e cimento atrapalhando a beleza do local, submarino que era meramente um trem submerso, e por aí vai.

Mas não importa. Para a criançada é só diversão. Então, ao levar seus filhos pequenos no parque tenha em mente que você não está levando as crianças em um lugar com o mesmo glamour de um parque como o Hopi Hari ou Beto Carrero World (e muito menos de um parque da Flórida). Chegue com a mente aberta para ver a diversão que seus filhos verão, e não os defeitos técnicos que os adultos observam. A criança ficará mais feliz com os pais se divertindo também.

Com relação a minha infância, 25 anos atrás, muita coisa mudou. Para muitos, poderá parecer um parque com brinquedos velhos e simples. E de fato há bastante brinquedos que parecem velhos mas estão bem conservados. Mas muitos dos carrinhos são novos, no estilo destes de parques de shopping center. O meu preferido, o carrinho que circulava por uma grande pista, não existe mais. Mas tem um conjunto de caminhões que seguem numa pista maior, tal como as do Playland de Shopping, e há também um carrinho que entra em uma caverna, mas este é por apenas uma volta.

Vamos começar pelo mapa. É muito difícil achar um mapa legível na internet então compartilho aqui com vocês a foto em alta resolução que eu bati. No parque não são distribuídos o mapa então sinta-se à vontade para imprimir e levar. No entanto, este mapa curiosamente parece estar desatualizado.

Mapa do Parque - Clique para Ampliar
Mapa do Parque – Clique para Ampliar

Fomos ao parque em uma quinta-feira. Geralmente é um ótimo dia para evitar as grandes filas do fim de semana. Porém o parque não é vazio. Há muitas crianças de escolas em excursão. Foi um dia muito tranquilo. Praticamente não pegamos fila nos brinquedos. Em geral as crianças de excursão andavam em grupos com os monitores e professores. Então, quando um brinquedo aparentemente parecia ter uma fila grande, era na verdade apenas por causa de um grande grupo. Bastava seguir para outro brinquedo e voltar naquele depois, que de fato 10 minutos depois estava vazio.

Submarino
Submarino

O ingresso para crianças custa R$ 45, com direito a acesso a 36 brinquedos. Algumas outras atrações, como o Planetário, Monga e Submarino são cobradas à parte. O ingresso para adultos tem preço de R$ 35. Mas aqui vai uma dica: compre online o ingresso de suas crianças por R$ 35. A entrada na verdade pode ser gratuita, sem direito aos brinquedos, tendo que comprar então os ingressos a parte ao preço de R$ 5. No nosso caso, optamos por comprar ingresso completo para todos nós. Compramos o do Arthur pela Internet por R$ 35 e os nossos no local. Aviso: o parque aceita apenas cartões de débito. Apenas uma lanchonete dentro do parque estava aceitando cartões. Portanto, esteja prevenido com dinheiro para os lanches, bebidas e lembranças.

 

O estacionamento é amplo porém de manhã estava bem cheio por conta de uma universidade que também faz uso do espaço. Porém não foi difícil achar uma vaga.

Logo que chegamos a atendente da bilheteria nos deu a dica de evitar naquele momento o Submarino, pois a fila era grande devido as excursões e logo mais não teria mais fila. Então nosso primeiro brinquedo foi o Trenzinho, chamado de Rio Grande.

submarino cidade das criancas 2

 

Foram alguns minutos dentro de um trenzinho bem bonito, com alguns vagões. Para o Arthur, foi uma grande novidade. Ao terminar, como de costume, ele disse: “mais”.

Trem Rio Grande
Trem Rio Grande

Mas convencemos ele que logo mais voltaríamos no trem e que ainda tinha muitas outras coisas legais para ver. Logo em frente tinha o caminhão.

caminhao comboio cidade das criancas

combustivel cidade das criancas

Depois andamos ainda pelo Trem Fantasma, roda gigante, avião e diversos outros brinquedos. Almoçamos cedo, 11:15, para evitar o transtorno com as excursões. Há um belo restaurante japonês, realmente com um jardim de impressionar, mas estava fechado. Foi possível ver de cima do teleférico. Comemos em uma lanchonete que oferecia um hambúrgueres.

teleferico cidade das criancas 2Uma outra coisa que o Arthur gostou muito foi o Teleférico. O teleférico é para apenas uma pessoa, e um dos requisitos é ter mais de 1,3m. Crianças pequenas no entanto pode ir no colo. Nas paradas o Arthur estranhava e queria mais. Nem quis sair na hora do desembarque obrigatório no outro lado do percurso.

E teve o passeio de Submarino, este, pago em separado R$ 10 por pessoa. Mesmo o nosso filho com dois anos tinha que pagar ingresso. O lago que abriga o Submarino é muito bonito. Ali foi uma viagem no tempo. Lembro de que quando eu era pequeno, eu e meu tio havíamos reparado que o que se via de dentro do submarino era a mesma coisa dos dois lados, ou seja, os passageiros não perdiam nada do show por estar sentado de um lado ou de outro. Desta vez não. O lado direito era cheio de coisas, geralmente animais de enfeite, e o lado esquerdo possuía muito menos. No início na verdade não havia quase nada no lado esquerdo, tanto que conseguimos mudar para o direito. Para alguém da idade do Arthur, no entanto, apenas ver a água fluir do lado de fora da janela já é uma grande emoção. Nossa opinião? Caro para o que oferece, mas é o tipo de coisa que você acaba fazendo por já estar lá e ser a atração principal. Decidimos no entanto que esta seria a única atração fora do ingresso que iríamos.

Saímos relativamente cedo. Em torno das 15:00. O Arthur já estava cansadíssimo e não queria ir em nenhum brinquedo. Apenas queria ficar perto do avião, que era uma outra atração cobrada a parte mas não estava funcionando. O avião estava trancado mas era possível ficar em torno dele.

 

Abaixo um resumo de alguns brinquedos adequados para crianças de dois a cinco anos.

Texas: carrossel com charretes no estilo de colonização do velho oeste norte americano

Carrossel: típico carrossel com cavalos e carroças

carrossel cidade das criancas

Submarino: um veículo que trafega sobre trilhos quase todo submerso na água. É a principal atração do parque e o preferido das crianças.

submarino cidade das criancas 3

Vale dos Dinossauros: pista de carrinhos, onde adultos também podem ir. É apenas uma volta curta que inclui uma caverna com dinossauros.

vale dos dinossauros cidade das criancas 2

vale dos dinossauros cidade das criancas

Calhambeque: carrossel com calhambeques

calhambeque cidade das criancas

Rio Grande: mini trem sobre trilhos, onde tanto adultos como crianças podem ir

Telecombate: aviões que giram sobre o eixo central e permitem controlar subida e descida. Crianças devem ir com os pais.

telecombate cidade das criancas

Facebook Comments

Post Author: mario